________________________________________________________

Quarta-feira, 29 de Julho de 1970

Um dia não muito longe não muito perto, Homem de Palavra[s]

 

Às vezes sabes sinto-me farto
por tudo isto ser sempre assim
Um dia não muito normal um dia quotidiano
um dia não é que eu pareça lá muito hirto
entrarás no quarto e chamarás por mim
e digo-te que tenho pena de não responder
de não sair do meu ar vagamente absorto
farei um esforço parece mas nada a fazer
hás-de dizer que pareço morto
que disparate dizias tu que houve um surto
não sabes de quê não muito perto
e eu sem nada pra te dizer
um pouco farto não muito hirto vagamente absorto
não muito perto desse tal surto
queres tu ver que hei-de estar morto?
 
 
"Um dia não muito longe não muito perto", Outono, in Homem de Palavra[s]
nescritas às 14:35

________________________________________________________

________________________________________________________

  RUY 

BELO
RSS