________________________________________________________

Segunda-feira, 27 de Julho de 1970

Uma vez que já tudo se perdeu, Homem de Palavra[s]

 

Que o medo não te tolha a tua mão
Nenhuma ocasião vale o temor
Ergue a cabeça dignamente irmão
falo-te em nome seja de quem for
 
No princípio de tudo o coração
como o fogo alastrava em redor
Uma nuvem qualquer toldou então
céus de canção promessa e amor
 
Mas tudo é apenas o que é
levanta-te do chão põe-te de pé
lembro-te apenas o que te esqueceu
 
Não temas porque tudo recomeça
Nada se perde por mais que aconteça
uma vez que já tudo se perdeu
 
 
"Uma vez que já tudo se perdeu", Outono, in Homem de Palavra[s]
 
nescritas às 14:37

________________________________________________________

________________________________________________________

  RUY 

BELO
RSS