________________________________________________________

Terça-feira, 21 de Julho de 1970

Serviço de Abastecimento da Palavra ao País, Homem de Palavra[s]

 

 

Vieram ter comigo dos lados do mar. Eram três, eram três mil. Vi que era pão que procuravam ou que não era pão que procuravam. Pus-me a distribuir por eles as minhas palavras: árvore, pássaro, mar, criança, rapariga, mulher. A cada palavra minha eu ia-me esvaziando. Era a vida, a minha vida que se me ia. Eles ficavam incendiados. Nunca tinham pensado que se pudesse comunicar assim coisas próprias. Vieram mais, muitos mais dos lados do mar. Disse-lhes: morte, deus. E caí redondo no chão. Naquele dia ficou instituído, o serviço de abastecimento da palavra ao país. Ainda vieram ter comigo, dizendo para eu arranjar outra designação, que aquelas inicias não podiam ser. Mas eu já habitava plenamente a minha morte, meu planeta desde tenra idade.
 
 
 

"Serviço de Abastecimento da Palavra ao País", Imagens vindas dos Dias, in Homem de Palavra[s]

nescritas às 14:48

________________________________________________________

________________________________________________________

  RUY 

BELO
RSS