________________________________________________________

Quarta-feira, 25 de Fevereiro de 1970

Excerto IV, A margem da Alegria

 

 

(...) Amor que faz falar mesmo o silêncio
que abra na manhã um espaço para o sol
hégira talvez esse loureiro talvez laura
vinte e um anos de amor vinte e um anos de silêncio
amor apenas amor nada quase nada
concebido e nascido numa terra de exilio
amor nocturno de árvores e fontes
palavra aprendizagem do silêncio
sei o teu nome sei tudo de ti
Não vi vir o verão mas ele veio
veio num tronco de mulher que não vi vir mas veio(...)
 
 
 Excerto de, A margem da Alegria
nescritas às 13:21

________________________________________________________

________________________________________________________

  RUY 

BELO
RSS