________________________________________________________

Terça-feira, 31 de Março de 1970

Excerto I, Toda a Terra

 

 
Quero uma mesa e pão sobre essa mesa
na toalha de linho nódoas de vinho
quero só isso nem isso quero
 
Quero a casa de terra à minha volta
cães altos na noite a minha mãe mais nova
quero só isso nem isso quero
 
Quero a casa do forno onde me escondia dos relâmpagos
e trovões quando um ferro no cesto garantia uma feliz cria à
[galinha chocadeira
quero só isso nem isso quero
 
Quero de novo fundir ao lume os soldados de chumbo que no
[natal me punham no sapatinho
e tirar chouriço e toucinho do guarda-comidas
quero só isso nem isso quero
 
Quero fazer pequeninos adobes e construir casas pelo quintal
ver chegar o verão e comermos todos lá fora na varanda de
[tijolo
quero só isso nem isso quero
 
Quero uma aldeia umas pedras um rio
umas quantas mulheres de joelhos brancos esfregando a roupa
[nas pedras
quero só isso nem isso quero
 
Quero escrever fatais cartas de amor à rapariga dos meus oito
[anos
rasgar essas cartas deixá-las para sempre dentro do tronco oco
[da oliveira
quero só isso nem isso quero
(...)
 
 Excerto de, "Quero só isso nem isso quero", in Toda a Terra
nescritas às 13:25

________________________________________________________

________________________________________________________

  RUY 

BELO
RSS