________________________________________________________

Terça-feira, 24 de Março de 1970

Excerto de "A Sombra e o Sol", Toda a Terra

 

(...)
Toda a terra é terra feita para mim é toda a terra
e epicuro ao falar fala afinal do nosso pão terreno
único pão que cabe nesta mão de homens
A vida não se compadece com ideologias vãs
a vida pede pouco mais que a vida
Para a sabedoria não existe idade mas para a felicidade existe um só momento
A noite de parménides a alegria de empédocles
palavras para coisas não muito menos que inexistentes
num mundo sem limite e sem medida
onde a abstracção é o começo da acção
A velhice às vezes afasta discretamente de nós
um por um os corpos em que antes sempre pensávamos ao falar de beleza
os corpos envelhecem mais que as coisas
não têm as raízes dos penedos nem mesmo as dos álamos
nem mesmo as das substancias indómitas como o ferro
não teria a natureza criado nada nem mesmo a geada
se porventura os princípios não fossem nem sequer declináveis
e tudo obedecesse à luz do fado
confiante na noite iluminando a noite
noite que um dia me espera ao fundo do corredor do cansaço
(...)
 

Excerto de "A Sombra e o Sol", Terras de Espanha, Toda a Terra, in Obra Poética vol2

 

çPÁG.ANTERIOR   ||  MOSTRA DA OBRA de RUY BELO  ||  TOPO ▲

nescritas às 13:39

________________________________________________________

________________________________________________________

  RUY 

BELO
RSS